Para a presidente do Cosems-Espírito Santo, Andrea Corteletti, “o maior desafio para organizar nosso sistema é fazer com que a Atenção Primária à Saúde seja consolidada realmente como a porta de entrada desse sistema. Nós temos grandes desafios na área do financiamento, reverter esse financiamento para que a locação do recurso esteja mais na Atenção Primária à Saúde. Eu não sei se acontecerá desonerando a secundária e a terciária, que também estão subfinanciadas, mas é necessário um aporte maior de recurso financeiro na APS. Eu penso que o financiamento, o nosso modelo de gestão é voltado ao atendimento das doenças. Nós precisamos voltar o modelo ao atendimento da clínica, da promoção e da prevenção”, que participou do Seminário APS- estratégia chave para a sustentabilidade do SUS, promovida pela OPAS, em abril. Saiba mais em apsredes.org

Veja a entrevista:

 

Recommend to friends
  • gplus
  • pinterest