Grupo de Apoio Terapêutico  (Salvador)

O Grupo de Apoio Terapêutico ao Tratamento da Obesidade (Gatto) é uma das atividades desenvolvidas no Centro de Diabetes e Endocrinologia do Estado da Bahia (Cedeba), localizado em Salvador. Mediante encaminhamento realizado pela triagem do Serviço de Psicologia, são formados grupos indivíduos portadores de obesidade grau III ou grau II com comorbidades, com baixa adesão ao tratamento clínico, em preparação para cirurgia bariátrica ou já operados, Ministério da Saúde / Organização Pan-Americana da Saúde 84 que são atendidos em sessões semanais com duração de duas horas por dois anos, formando um grupo com, no máximo, quinze indivíduos. Ao longo de nove anos de existência da iniciativa, os indivíduos tem referido mudanças significativas em relação à qualidade de vida.

Além disso, a permanência dos indivíduos por dois anos no programa com menos de três faltas foi acima de 90%. Ao término desse período, é facultada aos integrantes a participação em grupos focalizados por voluntários qualificados, denominados “de autogestão”, que foram criados por iniciativa dos próprios indivíduos, desejosos de dar continuidade aos trabalhos e diante da impossibilidade da instituição em atender a tal demanda. Dados com relação ao peso corporal mostraram que, no grupo regular a totalidade dos indivíduos no pós-operatório de cirurgia bariátrica reduziu o peso corporal, assim como 75% dos indivíduos em tratamento clínico. No grupo de autogestão, 66% dos indivíduos em pós-operatório há mais de 20 anos de cirurgia bariátrica mantiveram o peso corporal.

Para pensar e refletir:

Na organização da atenção à pessoa com obesidade, a atenção terapêutica clínica e o acompanhamento leva em consideração as comorbidades associadas, além do acompanhamento pré/pós-cirurgia bariátrica, a cirurgia bariátrica e a cirurgia plástica reparadora com profissionais especializados para o cuidado do individuo obeso. Faz-se necessária a articulação entre as equipes de Atenção Básica, de Atenção Ambulatorial Especializada e de Atenção Hospitalar Especializada para garantir a estratificação de risco e organização da oferta de tratamento cirúrgico aos obesos mórbidos, após o insucesso em tratamentos anteriores nos âmbitos da Atenção Básica e da Atenção Ambulatorial Especializada

Para saber mais: consulte o Caderno de Atenção Básica nº 38 – Estratégias para o cuidado da pessoa com doença crônica Obesidade.

– As ações e serviços para os indivíduos que precisam de tratamento cirúrgico para obesidade estão articulados entre os diferentes pontos de atenção?

Leia mais:

“Perspectivas e Desafios no Cuidado às Pessoas com Obesidade no SUS: Resultados do Laboratório de Inovação no Manejo da Obesidade nas Redes de Atenção à Saúde”

 

Recommend to friends
  • gplus
  • pinterest

Leave a comment